CALMA MOÇA, O AMOR VEM AOS POUQUINHOS



Calma moça. É tempo de se resguardar. É ele quem vai dizer se essa história vale ou não a pena. Não se jogue de uma vez nesse poço de mistério, vá mergulhando aos poucos para não se afogar em outra oceano de ilusão. É eu sei, o coração acelera, dá vontade de jogar tudo pra cima e gritar pro mundo todo sobre essa sensação louca que tá a mil por hora ai dentro.


Para dar certo é preciso começar na marcha lenta, ir aos pouquinhos. E é muito mais gostoso viu? Planeje cada etapa para não se perder. Quantas vezes você achou que ele seria o cara da tua vida e acabou sendo só mais um menino de esquina que não quer nada com nada? Quantas vezes você enviou uma mensagem, tinha certeza que seria respondida e dormiu frustrada agarrada ao travesseiro?


O amor vem sim pelo acaso, na simplicidade de um barzinho ou num match desses da vida…
Mas não é no descaso e no desespero que ele se desenvolve. Vá aos pouquinhos, arraste, engatinhe, fique em pé, ande, corra, nade, voe e ai sim se jogue. A felicidade é daqueles que sabem ousar com inteligência.

Faça sua jogada!

Escrito por: André Ferrari

Esse garoto ficou em coma desde os 12 anos, e o que ele disse quando acordou é de dar arrepios



Imagine que você é uma pessoa completamente feliz e saudável. Então, um dia, você percebe que suas mãos não funcionam tão bem quanto antes, logo depois, as pernas, pés e boca também começam a funcionar com dificuldades. Você não pode falar ou se mover por razões que não podemos compreender plenamente, mas o tempo todo você está completamente consciente, sabendo exatamente o que está acontecendo ao seu redor. E é aí que você percebe que é um prisioneiro no seu próprio corpo, e não há nada que alguém possa fazer para te ajudar.

Isso é exatamente o que aconteceu com um homem Sul Africano chamado Martin Pistorius, que infelizmente, sua história só piora. Ele sofria de uma síndrome rara que não tem cura, e passou por muitos anos de tratamento para corrigi-lo. Quando ele era criança, ele não era muito diferente das outras crianças, nascido na África do Sul, ele tinha pais amorosos e dois irmãos.

Porém, quando ele tinha 12 anos de idade, algo começou a mudar. Ninguém sabia o que estava acontecendo, e essa “coisa” iria afetá-lo pelo resto da vida e destruir completamente as suas chances de ter uma infância normal. Com apenas 12 anos de idade, ele entrou em coma inexplicavelmente, esse coma durou três anos. Quando fez 16 anos, ele começou a recuperar a consciência, mas o que aconteceu depois disso foi ainda desafiador do que o próprio coma.

Ele recuperou a consciência plena com 19 anos, mas mesmo acordado, parecia que ele não estava “lá”. Ele tinha perdido completamente a capacidade de se comunicar, seu corpo inteiro estava paralisado, e ele não podia andar, usar as mãos ou até mesmo falar. Sua principal forma de comunicação era através dos olhos, sua cuidadora, Virna Van Der Walt, notou que ele poderia usar seus olhos para responder as coisas que ela perguntava.


Foi quando sua família decidiu descobrir o que estava acontecendo. Eles mandaram-no para a Universidade de Pretória para fazer alguns testes e exames, onde confirmaram que ele estava consciente. Lá eles pensaram em uma maneira do garoto se comunicar de forma eficaz, e seus pais acabaram dando para ele um computador de fala, e foi aí que ele começou a recuperar algumas funções do corpo.





Ele chegou a conhecer uma garota chamada Joanna, que hoje é a sua esposa, e o fez mudar para o Reino Unido para estar ao lado dela. Embora os dias mais sombrios terem ficado para trás, Martin não pode deixar de recordar o passado. Na sua primeira fala real desde que acordou, ele disse se lembrar de sua mãe olhando para ele e desejando que ele morresse, não por maldade, mas porque ela não sabia que ele ainda estava mentalmente presente. Isso simplesmente arrepiou o mundo médico, que ficou estarrecido dele poder escutar enquanto estava em coma.




A síndrome locked-in, ainda permanece um mistério. Os médicos dizem que a síndrome geralmente vem de um resultado de um acidente vascular cerebral que danifica parte do tronco cerebral, em que o corpo e a maioria dos músculos faciais ficam paralisados.

Martin ainda fala através de um computador, mas isso não o impediu de continuar levando uma vida de alta qualidade e cheia de amor e risadas. Ele afirma que sua experiência fez com que ele ficasse ainda mais grato pela vida que ele tem agora. Ele declara o seguinte: “Por muitos anos eu era como um fantasma. Eu podia ouvir e ver tudo, mas era como se eu não estivesse lá. Eu era invisível.”

Embora as coisas não esteja completamente perfeitas, ele recuperou o controle de sua vida. “Foi aterrorizante. O que realmente me pegou foi a impotência completa e absoluta. Cada aspecto de minha vida era controlada e determinada por outra pessoa. Eles decidiram onde eu ia, o que eu iria comer, onde sentar ou deitar, em que posição eu ficaria e tudo o que eu ia fazer”.

Martin até chegou a escrever um livro sobre as experiências, que foi intitulado como “Ghost Boy”, e narra o momento em que ele perdeu o contato com o mundo até o presente. Martin realmente foi um exemplo de superação, tanto que ele foi homenageado por Thabo Mbeki, o Presidente Sul Africano. Apesar do fato de hoje ele morar no Reino Unido, ele ainda tem fortes laços com o lugar em que ele nasceu, e onde seu pesadelo começou.

Apesar de todas as complicações, ele é capaz de fazer as coisas acontecerem. Na imagem abaixo está Martin, dando uma apresentação através de um computador em conferência internacional em Israel.

E aí amigos, acham que história de Martin faz com que nós damos mais valor nas nossas vidas? Comentem!

Fonte: Fatos desconhecidos

Jovem se suicida no Maranhão e deixou carta acusando o “pai” de tê-la abusado sexualmente



A jovem Thalia Meireles, que se suicidou , deixou uma carta, acusando o pai de ter abusado dela sexualmente. O padastro da vítima encontra-se desaparecido. A mesma também chamava o padastro de pai. Ela morava na cidade de Monção.

Leia na íntegra a carta da jovem que se enforcou:

“Eu sei que a decisão que eu tomei foi totalmente desqualificada e imoral. Quem diabos é para tirar a própria vida?

Mas eu posso dizer uma coisa:Pra que serve o livre arbítrio?

A vida é minha, a essência é minha. Respeitem.

As pessoas passam a vida inteira julgando tudo que vêem. Jogam palavras que não voltam, olhares que machucam, rejeitam, maltratam, usam. Isso dói, tá legal? O ser humano vai guardando isso dentro de si até formar uma grande bola prestes a explodir. Você pode ver uma pessoa sorrindo, parecendo feliz, mas não se engane, sempre há coisas além. Por isso somos cegos. Nunca vemos além.

Aquela menina sentada de cabeça baixa tá precisando de ajuda. Mas o que as pessoas fazem? “Fulana está na bad”.

Que sociedade maldita. Como se tristeza fosse algo irrelevante, que nao precisa de atenção. Idiotas. Quando é tarde eles se perguntam o que tinha de errado.

Pais que não vêem seus filhos se cortando, se drogando, se destruindo. Escolas que não vêem o bulling debaixo do seu nariz.

Pais que estrupam os filhos, mães que humilham, irmãos que rejeitam.

Malditos. Malditos.

Tudo isso acima faz a mente humana enlouquecer, sabia? Ela definha, fica angustiada e cheia de coisas inexplicáveis, pensamentos perigosos. Você vê no jornal aquele jovem que matou inúmeros estudantes e julga. Já parou pra pensar o que levou ele fazer aquilo? Será que não foi a hipocrisia e idiotice da sociedade?

Essa sociedade que nos coloca em um lugar durante anos, em total humilhação e depois quer escolher um futuro pra nós.

Ninguém nunca vê. Até que é tarde.

Eu não queria morrer. Eu penso que tenho um futuro pela frente. Eu sei que tenho.

Tenho mais amigos para fazer, mais músicas para escutar, mais pessoas para namorar, mais shows para ir. Tanta coisa.

Mas sabe o que eu e outras milhões de pessoas pensam sobre isso?

“Eu não tenho força de vontade para continuar. Eu não sou forte, eu não consigo seguir em frente sem derrubar mais uma lagrima”.

Sejam mais gentis, por favor. Amem mais, ajudem mais, vêem mais, peguem na mão de pessoas que estão se afogando. Dê sua mão.

Dê um sorriso.

Eu tenho inúmeros motivos para ter feito o que fiz.

Meu próprio pai me abusou e foi por isso que eu morri por dentro. Eu fui morrendo durante dois anos. Fui vendo minha morte sem poder fazer nada a respeito.

Quantos cortes eu nao fiz?

Eu até apelei a drogas, o que não resultou em nada.

Meu pai iniciou a destruição.

Minha mãe me tirou minha rotina e passou a assistir tudo em total inconsciência. Eu sei que ela via, mas quem disse que ela percebia?

Ela era uma mãe tão atenciosa, o que aconteceu? Porque ela ficou tão alheia? Porque ela demonstra amar mais a meu irmão? Porque ela não me ama? Porque ela não me abraca e me beija assim como ela faz com meu irmão?

Porque ela me humilha por causa de um erro tão pequeno?

Porque ela não pergunta como foi meu dia na escola? Porque ela não quer saber o motivo de eu estar tanto tempo trancada no quarto? Porque ela não pergunta o motivo de eu usar tanta blusa de manga comprida?

Ela ta deixando eu morrer sem fazer nada. E eu não quero as lágrimas de meus pais. Eu sentiria nojo delas. Eu sentiria nojo porque eu passei a odiar meu pai e odiar minha nova mãe. Porque eu ainda amo aquela mãe que me abraçava e me beijava. É como se ela não me amasse mais porque fui usada pelo meu pai, como se ela sentisse nojo de mim.

Sim, ela sabe do abuso, mas jogou pra debaixo do tapete. Assim como aquela maldita escola em que eu passei os piores momentos da minha vida.

Eu ja tentei suicídio outras vezes. E isso e é horrível, porque eu já sei a sensação.

Pensar em suicídio é uma coisa, mas planejar e ir no ponto é outra.

Dá aquele aperto no peito, aquela sensação de frio na barriga. “O que acontecerá depois disso?” Eu não acredito em deus, eu creio que depois disso não há nada.

Mas enfim, fazer isso é difícil. Eu sou muito covarde.

Eu irei deixar muita coisa no mundo e o mundo ira perder muita coisa. Eu sou diferente. Eu sou uma daquelas pessoas que os outros precisam .

As vezes acho que sou hipócrita porque eu vejo pessoas depressivas e vou ajudar, dar conselhos, tirar a pessoa daquela situação. Mas eu não faço isso comigo. Porque não dá mais.

Droga, eu queria tanto ficar aqui. Porque ninguém me ajudou antes?

Ontem vi pessoas dizendo que a série 13 reasons why influência jovens a se suicidarem. Mas eu não acho isso.

Eu Estava planejando tirar minha vida a meses e essa serie só fez eu parar e pensar: Estou prestes a fazer algo muito idiota”.

Sim, eu tinha desistido de tirsr minha vida por causa de uma série, mas depois algo mudou. Eu voltei com a decisão .

Então eu digo: Eu não me matei porque uma serie me influenciou, não pensem isso .

Eu me matei porque eu não aguentava mais existir assim. Eu ja estava morta, o que mais eu serviria nesse mundo? Uma garota totalmente sem essência, sem nada por dentro. Já imaginou um oceano no meio da tempestade? O céu escuro? É assim dentro de mim. Mas tudo silencioso. Tudo muito destruído e silencioso. Tudo muito angustiante e doloroso.

É dificil acordar de manhã e pensar:

“Mais um dia em que irei ter lembranças más” “Mais um dia ao lado de pessoas que não me amam, que me odeiam””Mais um dia sentindo uma imensa vontade de chorar em todos os momentos” “Mais um dia desejando morrer”

Então eu quero pedir que sejam mais tolerantes. Depressão não e é frescura.

Não neguem ajuda a aqueles que estão angustiados, no fundo do poço.

E quando forem se lembrar de mim, pensem em uma Thalia verdadeira. Aquela feliz que vocês viam era total mentira.”

Adeus

Thalia Mendes Meireles.



Insistência é sinônimo de teimosia. E o amor não precisa disso.



Eu queria te pedir pra ficar. A minha vontade era de ajoelhar em teus pés e te pedir ”por favor, fica aqui”, porque tudo que eu queria era que você estivesse do meu lado. Mas existe uma diferença enorme entre ficar porque isso é tudo que você deseja e ir embora porque ficar é o seu último desejo no mundo. Eu era inseguro pra entender isso, sabe? Achava que só conseguiria seguir se fosse com você e as coisas não funcionam assim. Implorar pra que alguém fique por você é como acreditar que você não é nada e precisa do outro pra ser alguma coisa. E pra ser sincero, eu nunca precisei de você, só não entendia porque tanto insistia em precisar. Eu tinha tanto medo de te perder que não conseguia perceber que a única coisa que eu estava perdendo era o meu tempo.

Depois de tantos pedidos pra você voltar, depois de tantas tentativas frustadas e de tanta coisa que essa minha insistência me causou, eu não te peço mais, não me perco mais, não te abrigo mais em mim porque meu peito não é quarto de hospedes. Eu te dei todas as chances pra que você ficasse e te dei os melhores sorrisos pra que você gostasse de mim. Te esperei todas as vezes que você fugiu de mim. Se você não conseguiu enxergar o amor em tudo que te entreguei e no jeito que me joguei por você, então, o melhor que você fez foi mesmo ter ido embora. Quando alguém não mais enxerga a gente, não adianta, é mesmo a hora de ir. Dói quando a gente precisa ir quando tudo que desejamos é ficar. Mas doeria mais ainda se eu continuasse tentando te satisfazer e os pouquinhos me deixando em segundo plano. Agora, em segundo plano só os seus convites me chamando pra sair, seu discurso repetido me pedindo desculpas. Em segundo plano fica as suas mensagens me pedindo pra aparecer, sem se dar conta que eu estive do teu lado durante muito tempo, só você não notou.

Eu quis te convencer, mas chega de insistir. Insistência é sinônimo de teimosia, de capricho. E o amor não precisa disso.

Tudo que eu te desejo é a sorte que eu estou tendo, porque é tanta sorte que só me sobra isso pra te desejar. É sorte por ter me livrado de você, sorte por não sentir mais saudade de alguém que não me quer, nunca quis. Sorte por finalmente aceitar o fim que já tinha acontecido – eu que ainda insistia. Sorte por achar graça de tudo que você fez, e ri de tudo que um dia me fez chorar. Sorte por me sentir feliz e completo – com você, eu me sentia perdido e incompleto porque você me fez acreditar que você era a minha metade, você conseguia me convencer que sem você eu não seria ninguém. Tenho sorte de ter caído na real e ter percebido que em mim não faltava nada, nunca faltou, sempre estive completo. Tive sorte até por ter pisado no cocô de cachorro ao sair de casa hoje de manhã e ter pensado: ”eu tô fodido, mas tô com sorte”, porque dessa vez eu não me fodi por você, nem com você. E acredite, melhor pisar dez vezes em merda de cachorro, que insistir em algo que não fede, nem cheira.


Texto escrito por: Iandê Albuquerque

Homem divorciado comprou flores para a ex-mulher. Mas a mensagem foi arrepiante!

Um homem divorciado comprou flores para a sua ex-mulher e publicou no Facebook uma mensagem muito bonita, que deve servir de lição aos homens brasileiros, que maltratam e muitas vezes acabam com a vida da ex-companheira por motivos ligados ao machismo gritante de nossa sociedade.

Mas Billy Flynn tem consciência que os seus filhos repetirão seus atos no futuro e quis passar uma lição nessa sua atitude:

“Hoje, a minha ex-mulher faz aniversário. Levantei cedo e comprei comprar flores, cartões e presentes para as crianças darem de presente à mãe. Também dei uma força para eles prepararem o café da manhã para ela.

Muitas vezes, as pessoas questionam por que razão eu continuo a fazer as coisas por ela. Isso me incomoda, por isso resolvi esclarecer.

Eu estou a criar dois homens. A maneira como eu trato a mãe deles irá influenciar a maneira como eles vão tratar as mulheres ao longo da vida. Por isso, eu procuro dar o exemplo porque as crianças sempre copiam as atitudes de seus pais.

Se você trata mal a mãe de seus filhos, mude de atitude. Crie bons homens. Crie mulheres fortes. O mundo precisa disso hoje mais do que nunca.”





5 maneiras de detectar uma mentira




Detectar quando alguém não está sendo sincero não é uma habilidade que os detetives da série que você assiste adquirem com a experiência – é saber observar dezenas, centenas de pequenos sinais que o corpo dá durante uma mentira. E isso pode sim vir da experiência, mas também pode ser aprendido. É que o rosto e as expressões faciais, os movimentos da perna, dos braços, a voz e até o cérebro dão uma porção de dicar sobre a honestidade ou a desonestidade de um relato. E se você souber que dicas são essas, pode ser capaz de identificar quando alguém estiver mentindo.

Antes de saber quais são os 10 sinais que podem indicar que alguém está mentindo, saiba muitos deles são sinais associados ao estresse que a pessoa sofre quando precisa mentir. Logo, tome cuidado para não confundir uma pessoa sincera e nervosa por outros motivos com um mentiroso. Além disso, seja sempre cauteloso. Não vale terminar o namoro ou brigar com o melhor amigo por que ele coçou o nariz no meio de uma história. Uma maneira segura de investigar uma mentira através de sinais subjetivos é estabelecendo um parâmetro para a pessoa que você acha que pode estar mentindo. É simples: faça uma afirmação que você saiba ser verdade sobre ela (“Ah, semana passada você foi viajar para a praia, né?”) e observe como a linguagem corporal dela reage ao concordar. Anote mentalmente. Em seguida, faça outra afirmação sobre ela que você sabe ser mentira (“E lá você terminou com seu namorado, não foi?”) e também observe a maneira como ela reage. Registre tudo: pra onde ela olha, como move a cabeça ao negar, as micro-expressões, onde coloca as mãos.

A partir daí, deve ficar mais fácil de identificar as atitudes específicas daquela pessoa em relação a relatos sinceros e mentirosos. Mas existem sinais universais.

Conheça-os:

1. Contato visual excessivo

Contato visual excessivo. Você já deve ter lido por aí que quem desvia o olhar pode estar mentindo. Só que um estudo sugeriu que, na verdade, mentirosos podem inclusive fazer contato visual exagerado, justamente numa tentativa inconsciente de camuflar isso. E quem não está mentindo, geralmente, tende a não se preocupar com isso e acaba quebrando contato visual casualmente para olhar para objetos estáticos, o que ajuda a focar e reavivar a memória. Portanto, vale mais a pena ficar atento se o sujeito está olhando demais no seu olho.

2. Mãos escondidas

Fique atento para toques no nariz, cobrir a mão com a boca e palmas da mão escondidas – seja no bolso, nas costas ou cruzando os braços. Quando estamos sendo sinceros, tendemos a expôr as palmas das mãos para o outro. Quando mentimos, somos inclinados a nos fechar e esconder as mãos.

3. O movimento dos olhos

Se você é destro e precisa se lembrar de algo, você olha para cima à esquerda. Se você é canhoto e está inventando algo, seus olhos se movem para cima à direita. Inverta a lógica para canhotos e você tem um mecanismo interessante para saber se alguém está inventando uma história ou contando a partir da memória.

4. Reação demorada

Se a pessoa demora pra concordar ou negar o que você acabou de afirmar e há um atraso no movimento da cabeça, por exemplo, pode ser um sinal de que ela está mentindo. Claro que esse intervalo extra dura décimos de segundos, então precisa ser bem observador pra notar.

5. A maneira como a pessoa fala

Nessa parte, há uma série de sinais que pode indicar uma mentira. Nós listamos algumas reações que são apontadas por psicólogos como sinais de insinceridade:

  • Repetir exatamente a mesma frase quando nega ou afirma alguma coisa
  • Não responde diretamente à pergunta: contesta usando uma outra pergunta ou muda de assunto (meio óbvio, ok, mas sempre importante lembrar)
  • Usar muitas expressões do tipo “pra ser honesto”, “honestamente”, “francamente”, “sinceramente”
  • Falar difícil demais, usando palavras rebuscadas que normalmente não aparecem no discurso daquela pessoa no cotidiano
  • Usar pronomes vagos ou evitar o uso deles. Se o sujeito evitar o pronome “eu” e começar falar usando voz passiva (“isso nunca aconteceu”, “não foi feito por mim”) ou outros sujeitos gramaticais (“as pessoas geralmente não fazem essas coisas”), ele pode estar tentando se distanciar do que está dizendo
  • Usar detalhes demais
  • Se a voz ficar repentinamente aguda demais ou a pessoa estiver falando mais rápido que o normal, isso pode indicar nervosismo. Gaguejar e parar no meio das frases, também
  • Fazer menos afirmações diretas
  • Repetir exatamente suas palavras (“Você comeu o pudim que estava na geladeira embrulhado em um plástico?” “Não, eu não comi o pudim que estava na geladeira embrulhado em um plástico”, por exemplo).

Não mendigue a atenção de ninguém, e muito menos o amor



Não mendigue o amor de quem não tem tempo para você, de quem só pensa em si mesmo.Nunca faça isso. Quem faz você se sentir invisível e insignificante diante de uma indiferença não te merece. Só te merece quem, com atenção, faz você se sentir importante e presente.

O amor deve ser demonstrado, mas nunca, jamais, deve ser mendigado. O fato de haver necessidade de mendigar amor é o mais fiel reflexo de uma injustiça emocional, de um desequilíbrio do sentimento que sustenta a relação.

Merece seu amor aquele que diz menos, mas faz mais. Não te merece quem só te procura quando precisa, mas sim quem está ao seu lado quando você precisa, e não só quando o interesse pessoal permite. Merece seu amor quem, sem esperar nada, leva esse sentimento dentro de si e faz você sentir que é importante.

No fim é simples, a pessoa que te merece é aquela que, tendo a liberdade de escolher, fica perto de você, dedicando seu tempo e seus pensamento.

Não existe falta de tempo, existe falta de interesse

Dizem que não existe falta de tempo, mas sim falta de interesse porque, quando realmente se quer, a madrugada se transforma em dia, terça-feira se transforma em sábado e um momento se transforma em oportunidade.

Também dizem que quem espera muito, se decepciona e sofre. Assim, temos que checar nossas expectativas e colocar na cabeça o ensinamento: “não espere nada de ninguém, espere tudo de você mesmo”.

Porque as esperanças e as expectativas são, muitas vezes, a base dos fracassos emocionais e, portanto, de percepção das atitudes dos outros como falta de interesse.Quando percebemos o que os outros fazem ou dizem como mentiras, obviamente sentimos dor. Uma dor emocional que a nível cerebral se comporta da mesma forma que uma dor física.

Nesse sentido cabe fazer uma nota importante: devemos dar ao mal-estar psicológico a importância que ele merece. Não nos ocorreria ignorar fortes pontadas no estômago ou uma dor de cabeça forte e constante.

Por que deveríamos ignorar a dor emocional então? Não podemos simplesmente deixar que o tempo cure, temos que trabalhar sobre a dor e extrair dela os ensinamentos cabíveis do mesmo modo que deixaríamos de tomar chocolate quente se descobríssemos que é ele a causa da nossa dor de estômago.

Isso é muito importante porque socialmente há a falsa crença de que o mal-estar psicológico é sinal de fraqueza e que, ao mesmo tempo, o tempo curará as feridas sem necessidade de desinfetá-las, nem de fazer curativos ou cuidados para evitar que sangrem.

Valorize-se, queira bem a si mesmo

Dedique tempo às pessoas que merecem e que fazem você se sentir bem. Não mendigue atenção, amizade, nem amor de ninguém. Quem quiser estar com você demonstrará sua intenção, cedo ou tarde.

Por isso, se você está vivendo uma situação de injustiça emocional angustiante, lembre-se:

– Não procure quem não o procura e não responde aos seus chamados. Não busque quem não sente sua falta. Não sinta a falta de quem não te busca. Não escreva a quem não te escreve, não se submeta ao castigo da indiferença que fica clara diante de mensagens ignoradas ou silêncios infundados.

– Não espere quem não te espera, valorize-se e deixe de mendigar e de implorar por amor.Porque, como dissemos, o amor deve ser demonstrado e sentido, mas jamais implorado. Guarde seu carinho para quem te quer e te compreende sem qualquer julgamento.

– E, sobretudo, não se esqueça do valor do seu sorriso diante do espelho, ame a si mesmo e valorize-se por tudo o que você é, e não pelo que alguém que não te merece faz você pensar de si mesmo.

Ame-se e compreenda que o fato de que alguém o trata mal não quer dizer que você não deva fazer o impossível para rodear-se de pessoas que te fazem o bem e te querem bem.


Fonte: A mente é maravilhosa